terça-feira, junho 16

O PEREGRINO E O CORAÇÃO ILUMINADO

Átila da Silva, relendo David Martin Lloyd-Jones.

Falando sobre Mt.5: Chegamos agora ao que indubitavelmente é uma das maiores afirmações encontradas nos vastos domínios das Escrituras Sagradas. Quem quer que chegue a captar, mesmo que apenas um pouco, o significado das palavras: "Abençoados os puros de coração, porque verão a Deus”, poderá abordá-las, somente, com temor e completa falta de adequação. Está aí, por certo, a própria essência da posição e do ensino cristãos. É disso que trata o cristianismo, esta é a sua mensagem. O Evangelho de Jesus Cristo lida com as coisas do coração, ênfase e cerne do Seu ensino. Leia os Evangelhos e você verá que, do começo ao fim, Ele fala a respeito do coração.
Nosso Senhor, sem dúvidas, escolheu essa ênfase por causa dos fariseus. Era a grande acusação que Ele carregava contra eles, pois se mostravam interessados pelo exterior dos copos e pratos, enquanto ignoravam o interior. Vistos exterior­mente, estavam sem mancha, mas, por dentro, repletos de rapina e iniquidade. Sua maior preocupação era com o conjunto de atos externos da religião, logo, esqueciam os preceitos mais importantes da Lei, a saber, o amor a Deus e o amor ao próximo.
Assim é que o Senhor repete Sua grande ênfase sobre o coração, e destaca o cerne dos Seus ensinamentos. A ênfase não está na mente ou intelectualidade, mas na condição do coração. Como anda o seu coração, o seu interior? As pessoas podem ver uma aparência de santidade, mas o Senhor vê o coração. Se você não abrir-se, mudar por dentro, não haverá religiosidade ou boa aparência que faça você chegar ao caminho estreito do discipulado de Cristo.
Ter o coração transformado todos os dias é próprio do peregrino. Gerar frutos de amor no relacionamento com as pessoas é próprio do coração do peregrino. Criar pontes e destruir os muros entre as pessoas é próprio de um coração iluminado, peregrino.
Quero ser ponte para você. Seja ponte para mim.


David Martin Lloyd-Jones,
“Studies in the sermon on the mount”,
Eerdmans. pp.90 a 93 - Tradução e adaptação: Átila.
Ilustração:www.carteiroonline.com

2 comentários:

Gustavo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo disse...

Átila, ainda hoje temos muitos elementos dos fariseus presentes na igreja de hoje. Seja o prumo na indumentária dominical, a doença e pobreza justificadas como 'fruto do pecado', os repentes bíblicos...
Como se precisássemos ouvir (e ver) do irmão que somos de Cristo, e não dEle!


Um grande abraço, que Deus te abençoe!
E que possamos ser sempre ponte uns para os outros...

22 de Junho de 2009 01:04