domingo, agosto 30

Consciência ou Consequência...

Alice Osis da Silva.

Pode ser um pouco chocante, mas serve para chamar a atenção sobre a consciência que devemos ter em nossa interação com o mundo ALÉM dos nossos próprios interesses...

video

video

video

Vídeo 1: "Dirigir e falar ao celular aumenta o risco de acidentes em 400%"
Vídeo 2: "Bons motoristas apenas dirigem"
Vídeo 3: "Mantenha a atenção ou pague o preço"

FONTE:
http://www.youtube.com/watch?v=Hx6HxCM6OfU
http://www.youtube.com/watch?v=LduvovKsvuM
http://www.youtube.com/watch?v=JeksWmadojY

sexta-feira, agosto 28

REFLETIR OU FORMATAR???

Átila da Silva, pr.

Existe um poder formatador reinante dentro do ser humano desde tempos imemoriais.
É a tendência que o homem tem de querer controlar o que lhe escapa, lhe sublima, lhe faz refém dos acontecimentos que não pode dirigir ou entender.
Logo, reage atribuindo formatação ao que não pode ser contido por definições ou conceitos. Assim, consegue atenuar sua própria ansiedade e anseio. E continuará fazendo de tudo para concretizar a realidade a partir de SUA cosmovisão (weltanschauung), à sua imagem e semelhança.
Lembro-me do trecho de Romanos capítulo 1 onde Paulo mostra como o homem tem a capacidade de elaborar na sua mente uma 'realidade' diferente do que é efetivamente real (v.21).

O termo grego utilizado é 'dialogismós', que ocorre também em Mateus 15:19; Lucas 5:22; 9:46,47; 1 Coríntios 3:20, dentre outros, sempre com a característica de uma abordagem formatadora e orgulhosamente impositora. É do interior, do coração, da mente que procedem as tentativas de transformação da verdade de Deus e Seus propósitos em modelos deformados de prazer e alegria passageiros.

O peregrino não procura nem se deixa formatar (Romanos 12:2 - literalmente 'metamorfosear') pelos pressupostos escravisantes naturalmente encontrados dentro dele, mas luta para que não adapte, ajeite, acomode, brandeie a rudeza e exigência da peregrinação.

Ele deseja refazer-se o tempo todo (Romanos 6:4 e 7:6), despojar-se e revestir-se da maneira de ser, pensar e viver do Novo, do Mestre. Isto não é ação única, mas um processo diário firme, insistente, de reformulação do olhar analítico, reflexivo e das idéias e posturas resultantes dele.
A grande maravilha da caminhada peregrina é que sempre se deixa para trás o que passou, não se vive rondando, circulando o mesmo trecho (40 anos no deserto das idéias!), mas novos passos, novos desafios, novas transformações e novas perspectivas vão se realizando pela direção do Mestre, Pastor, ao lado do Seu peregrino. Filipenses 3:13 e 14.
Ilustrações in:
alfaleninha.spaces.live.com
flickr.com
muddypickles.wordpress.com

domingo, agosto 23

O MEU E O NOSSO SERVIÇO CRISTÃO

Átila da Silva, pr.
"A fé conduz ao amor, e este ao serviço”.
John Stott. “O cristão em uma sociedade não cristã” - Vinde.
*
Nós já aprendemos pela Palavra que o peregrino é salvo para servir a Deus realizando o amor prático de Jesus na vida do próximo.

O Mestre nos deu esse exemplo: “Pois o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir...” (Mc.10:45); “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também [...] ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes” (Jo.13:15, 17).

Mas, talvez, nos falte entender que existem duas visões sobre essa diaconia (serviço prático):

A primeira: Ela é responsabilidade individual.
*
Quando Jesus diz que devemos ser luz e sal está falando da convivência do peregrino em seu dia a dia, quando está cercado de pessoas carentes da Luz. É ali que ele, individual e voluntariamente, deixará que o amor do Mestre se torne prático por meio do serviço que presta aos outros, quer esteja trabalhando, estudando ou compartilhando da vida na sua rua ou vizinhança.
O peregrino não espera por outros para trabalhar porque já tem dentro de si tudo que é necessário para servir ao próximo: gratidão, por ter recebido a graça da salvação e um amor que transborda pela Presença do Espírito Santo em seu coração.

A segunda: Ela é responsabilidade coletiva.

Jesus criou Sua Igreja para reunir os peregrinos como uma força espiritual que pode desafiar as trevas e vencer o diabo. Além disso, sua força está na coletividade e na reprodução do jeito de ser do Mestre em sua convivência, que junta as experiências individuais de testemunho, relacionamento e serviço para conseguir chegar onde um peregrino sozinho não conseguiria. É muito mais fácil criarmos, como comunidade de fé, um grupo de apoio a casais, homens, mulheres, filhos, avós e outros, do que tentarmos fazê-lo sozinhos. É mais simples pensarmos e agirmos juntos, em estratégias criativas para compartiharmos o amor prático de Jesus, em nossa rua, em nosso bairro do que tentarmos fazê-lo sozinhos.
Jesus deixou o exemplo. Separou cada um dos 12 homens para serem discípulos individualmente e, para comporem com Ele, também, uma comunidade de fé prática.

Então, tanto sou peregrino e tenho meu potencial de serviço a ser desenvolvido, quanto sou parte de um comunidade que permance aqui para levar o amor de Jesus ao próximo carente, necessitado na alma, no coração, na visão do propósito da sua vida, do mundo...
*
SUGESTÕES
*Inicie levantando a realidade espiritual das pessoas que convivem com você e peça a Deus estratégias criativas para demonstrar o amor prático do Mestre para elas. Participe de reuniões de condomínio, vá ao futebol com os colegas de trabalho, compareça às reuniões da sociedade amigos do bairro...
* Converse com outros peregrinos sobre sua realidade contextual e peça ajuda em idéias práticas e na aplicação delas em seu círculo de relacionamento.
* Não espere mais. Saiba que mostrar o amor é a única razão porque o peregrino permanece ainda por aqui!
* Não fique restrito a uma idéia ou ao seu grupo eclesiástico. Lembre que só é peregrino quem tem e demonstra o amor prático de Jesus ao próximo durante a peregrinação. Busque pessoas que queiram servir , sem adiamento, sem desculpas, sem "vamos estudar melhor e...". Esses são verdadeiros peregrinos.
*
Assim, não importará se sua vida durará 15 ou 60 anos. Certamente ela terá mostrado o caminho da Fonte que jorra para a vida eterna.

Ilustrações:
1. flammarion.wordpress.com
2. hologramataxi.blogspot.com / Estilizada pelo CONTRA MÃOS

quinta-feira, agosto 20

FANTÁSTICA FRASE FEMININA

Átila da Silva, pr.

Essa frase que vi adesivada no porta-malas do carro de uma moça:

"PENSO, LOGO SOU MULHER"

Foi uma das frases mais inteligentes e criativas de defesa da importância e inteligência femininas que tive a oportunidade de ler.

Creio que o filósofo e matemático Descartes não irá se opor a este sensacional adendo à sua célebre frase.

A quem criou essa frase, nossos parabéns sinceros.

sábado, agosto 15

Calvin, Haroldo e a Autoavaliação

Átila da Silva, pr.

É ler e refletir:*Será que a reflexão de Calvin pode ser aplicada ao peregrino?
(VISUALIZE MELHOR Clic AQUI)

*Ele deve ser 'bom', ou seja, praticar o amor prático de Cristo, por causa do seu relacionamento de amor com Ele, ou apenas parecer fazer isso?

*O ajuntamento eclesiástico nos condiciona a ser ou a parecer?

*Precisamos ser realmente peregrinos ou apenas para "dar pro gasto"?

Obrigado Calvin...

Obrigado Bill Watterson... The great creator!

quarta-feira, agosto 12

É POSSÍVEL DIZER SÓ MENTIRAS FALANDO APENAS A VERDADE?

Átila da Silva, pr.

É possível alguém dizer somente mentiras, falando só a verdade?

Como a propaganda a seguir pode ajudar-nos a responder essa pergunta?

video

Esta foi uma famosa propaganda do jornal "A Folha de São Paulo".

Pensando na atualidade:

1). Poderíamos aplicar a sua mensagem ao cenário político brasileiro?

2). Será que no contexto religioso e, mais especificamente, eclesíastico existem pessoas pregando mentiras mostrando a verdade?

3). Refletindo sobre seu próprio coração, existe possibilidade de você reproduzir essa realidade?

Penso e não desisto!

Fonte: Washinton Olivetto - Memória Folha de São Paulo.

domingo, agosto 9

MARKETING TEOLÓGICO!

Átila da Silva, pr.

Hoje em dia se faz teologia em todos os cantos. Desde a senhora que no ônibus vê o infortúnio passando do lado de fora em forma de um acidente, de um tiroteio ou de um cemitério, e exclama "-Deus me livre", até o ambiente capitalista que vê na fé do povo um facilitador do lucro e da manutenção da subserviência ao "ter é igual a ser".

Abaixo um exemplo do que chamei de "marketing teológico"... (Clic na foto para ampliar)

Infelizmente esse subterfúgio também tem sido utilizado para 'aumentar a renda' e 'o prestígio de dominação' nos centros de convergência eclesiástica, digo templos, por aí.

Graças a Deus, o peregrino não está preso a um "fannun" (leia sobre isso) e tem sua mente cativa pelo conhecimento de Cristo...

Atenção ao marketing teológico! "Parabéns aos Correios", por captar tão bem a alma religiosa dos brasileiros...

Fonte: Revista Reader's Digest - Seleções - Agosto 2009, p.18.

terça-feira, agosto 4

O PEREGRINO E AS COISAS DE DEUS

Átila da Silva, pr.

Talvez você já tenha ouvido, em meio à caminhada com Jesus, pessoas falarem sobre "as coisas de Deus". Frases como: "- Devemos cuidar bem das coisas de Deus"; "- Agora quero me dedicar às coisas de Deus"; " - As coisas de Deus precisam ocupar todo o nosso coração". "- As coisas de Deus precisam ser tratadas com seriedade e compromisso"; e assim por diante. Mas, o peregrino sabe que

DEUS NÃO QUER POSSUIR COISAS, SOMENTE PESSOAS!

Os Salmos 50 e 51 mostram bem essa realidade.
Infelizmente o processo de sacralização de espaços, de utencílios, de programas e de atividades tem projetado na mente e no coração das muitas pessoas que se reúnem nos centros eclesiásticos uma noção de 'obra de Deus' compromissada com a versão utilitarista e pragmática, reflexo da sociedade capitalista ao seu redor.

Somente o homem foi criado para relacionamento pessoal com Deus, e foi por causa das pessoas que Jesus se deu voluntariamente, a fim de oferecer-lhes relacionamento pessoal com Ele para sempre: a salvação.

Portanto, quando uma pessoa que se diz discípulo coloca mais valor sobre as coisas que sobre as pessoas, mostra não ter qualquer noção do que realmente significa "Obra de Deus". Não importa o que seja. Nada pode receber maior dedicação do que as pessoas, nem templos, nem propriedades, nem associações, nem agremiações, nem programas, nem bens materiais, nem cães e gatos...

Deus não tem relacionamento com atividades ou afazeres, mas com gente.

Deus não tem relacionamento com coisas, mas com gente.

A Igreja de Jesus é feita de pessoas e não pode ser coisificada, localizada, 'denominacionalizada', quantificada, acondicionada, domesticada, confinada ou retirada do meio deste mundo perdido e carente.

Os frutos que se dá estão ligados ao amor compartilhado com pessoas.

As 'boas obras' são obras de Deus quando levam amor, dignidade e a oportunidade das pessoas se tornarem também peregrinos.
Então, o peregrino sabe que não está ligado a 'coisas' ou 'atividades', mas à Pessoa que ama as pessoas.

Pintura & Foto:
1. A Criação de Adão (Michelangelo)
http://mv.vatican.va/3_EN/pages/x-Schede/CSNs/CSNs_V_StCentr_06.html
2. asoscomeles.blogspot.com