terça-feira, agosto 4

O PEREGRINO E AS COISAS DE DEUS

Átila da Silva, pr.

Talvez você já tenha ouvido, em meio à caminhada com Jesus, pessoas falarem sobre "as coisas de Deus". Frases como: "- Devemos cuidar bem das coisas de Deus"; "- Agora quero me dedicar às coisas de Deus"; " - As coisas de Deus precisam ocupar todo o nosso coração". "- As coisas de Deus precisam ser tratadas com seriedade e compromisso"; e assim por diante. Mas, o peregrino sabe que

DEUS NÃO QUER POSSUIR COISAS, SOMENTE PESSOAS!

Os Salmos 50 e 51 mostram bem essa realidade.
Infelizmente o processo de sacralização de espaços, de utencílios, de programas e de atividades tem projetado na mente e no coração das muitas pessoas que se reúnem nos centros eclesiásticos uma noção de 'obra de Deus' compromissada com a versão utilitarista e pragmática, reflexo da sociedade capitalista ao seu redor.

Somente o homem foi criado para relacionamento pessoal com Deus, e foi por causa das pessoas que Jesus se deu voluntariamente, a fim de oferecer-lhes relacionamento pessoal com Ele para sempre: a salvação.

Portanto, quando uma pessoa que se diz discípulo coloca mais valor sobre as coisas que sobre as pessoas, mostra não ter qualquer noção do que realmente significa "Obra de Deus". Não importa o que seja. Nada pode receber maior dedicação do que as pessoas, nem templos, nem propriedades, nem associações, nem agremiações, nem programas, nem bens materiais, nem cães e gatos...

Deus não tem relacionamento com atividades ou afazeres, mas com gente.

Deus não tem relacionamento com coisas, mas com gente.

A Igreja de Jesus é feita de pessoas e não pode ser coisificada, localizada, 'denominacionalizada', quantificada, acondicionada, domesticada, confinada ou retirada do meio deste mundo perdido e carente.

Os frutos que se dá estão ligados ao amor compartilhado com pessoas.

As 'boas obras' são obras de Deus quando levam amor, dignidade e a oportunidade das pessoas se tornarem também peregrinos.
Então, o peregrino sabe que não está ligado a 'coisas' ou 'atividades', mas à Pessoa que ama as pessoas.

Pintura & Foto:
1. A Criação de Adão (Michelangelo)
http://mv.vatican.va/3_EN/pages/x-Schede/CSNs/CSNs_V_StCentr_06.html
2. asoscomeles.blogspot.com

3 comentários:

MULHER VIVA disse...

Talvez a solução esteja na busca da identidade cristã que por algum motivo foi perdida.Paulo no fala sobre fé em Gálatas 3:8,9 "por meio de vc todas as nações serão abençoadas.Assim os que são da fé são abençoados junto com Abraão,homem de fé".
Fé na eternidade ao lado do Mestre,creio ser está a razão de não colocarmos templos,coisas,gatos e cães no lugar de pessoas.

Glaucia disse...

Jesus se moveu em direção a pessoas, solitárias ,pecadoras, doentes. Vários movimentos de Jesus são na direção de uma só pessoa que foi buscar. Jesus não só enxerga pessoas, mas vê indivíduos com nome,necessidades singulares supridas pela presença dEle de maneira especial e única. Como Reino de Deus creio que é assim que devemos ser, a partir da direção do Espírito.

mari disse...

Que bom manos, quando aprendemos que o chamado é para fora.
A Igreja de Deus é livre e as portas do inferno jamais prevalecerá contra ela.
O Corpo de Cristo só obedece Uma Cabeça e os membros não carregam crachás e sim o selo do Cordeiro.
O próximo é qualquer um caído no Caminho.

Nele que nunca deu valor para blocos, placas e afins.