sábado, outubro 31

ALONE! QUANDO ME SINTO SÓ...

Átila da Silva, pr.

Os sentimentos são influências poderosas dentro de nós. Nem sempre resultam em consequências danosas, mas quando se ligam a desequilíbrios interiores nos tiram do prumo da mente consciente e conectada à realidade... não àquilo que julgamos ser o real, mas o que efetivamente está acontecendo.

É simples para o ser humano tomar decisões ou mesmo enxergar a vida através da influência de um sentimento. Em algumas ocasiões o sentimento é tão forte que parece resumir toda a existência. A parte vira o todo, não existem outros referenciais razoáveis que possam trazer o contraponto, o benefício da dúvida, a cogitação de que existe outra forma de viver além daquela que o sentimento está sugerindo ser absoluta no momento. Veja ao final outras cosiderações: (1)

O peregrino não vive discernindo sua vida a partir dos sentimentos que tem sobre ela, pois sabe que seu coração pode pregar peças (Jeremias 17:9). Também não vive baseando seu dia a dia na racionalidade pessoal, pois esta pode estar desprovida de todos os elementos necessários para perceber a realidade do ponto de vista que discerne, clarifica, edifica, solidifica, embasa, faz crescer.

Por isso, o peregrino sabe que deve manter um estilo de vida - sentimentos, pensamentos, decisões... - apoiado na Palavra de Deus, lida, estudada e interpretada dentro de seus contextos.(2)

Sentimentos são bons, quando não assumem o controle do discernimento do momento ou da vida. (3)

A mente é boa, desde que não se presuma suficiente para pensar e controlar sozinha o viver.

A Palavra de Deus vem sempre antes de tudo (Sl.119:105), mostrando o caminho que ainda não conhecemos, e as verdades espirituais que podemos ter certeza de viver em Deus. É ela que diz: "nunca te deixarei, nunca te desampararei" (Hb.13:5).

O peregrino pode sentir-se só, mas isso será apenas um sentimento. Apesar de todos os estímulos por dentro ou ao redor, o que vale mesmo para ele é a Palavra de Deus!

Estude a Bíblia porque por ela você conseguirá viver sem ser refém das emoções e do racionalismo orgulhoso.
Abraço.
EXTRAS:

1 Em nossa classe de Ética 2, refletindo sobre as complexas relações do suicídio com a cultura brasileira, primordialmente a cultura evangélica, analisamos diversos bilhetes deixados por suicídas. Todos revelam a mesma realidade: sentimentos são os maiores responsáveis por decisões "finais". Se quiser ler esse material:

2 É aqui que reside um dos principais motivos para o desvio e a dogmatização que tem se tornado comum dentro da igreja evangélica brasileira. Ainda no tom da citação do texto (FORA DO CONTEXTO!) "a letra mata, mas o espírito vivifica", crentes têm sido orientados a ler a Bíblia de maneira devocional, ou seja, "leia e ouça o que Deus está lhe falando, sinta sua palavra, deixe que seu coração leve você à verdade de deus, então, se você estiver sentindo paz a palavra já entrou em seu ser!". Bem, não é por um acaso que coloquei em letras minúsculas 'palavra' / 'deus' e em destaque a expressão "sentindo paz", sendo este mais um texto bíblico retirado de seu contexto. O nosso povo gosta de emocionar-se e, quando sente o toque sentimental, acha que encontrou a prova que faltava para que algo seja atribuido finalmente ao toque de Deus.
3 Não é verdade que um sentimento fora de controle gera consequências terríveis?
Se não, pergunte ao garoto que, pelo sentimento da "adrenalina", acelerou demais sua moto sem equipamento de segurança e... a menina que sentindo ser invisível coloca uma roupa provocativa e torna-se a garotinha mais popular entre os meninos que querem apenas usar as mulheres... etc, etc...
FOTOS ESTILIZADAS PELO CONTRA MÃOS. Os créditos estão incluidos em cada uma delas.

Um comentário:

Sandro e Marilene disse...

"Sentimentos são bons, quando não assumem o controle do discernimento do momento ou da vida."
Puxa, quanto estrago pode ser evitado a partir da definição acima.

Abraço da Mari