domingo, maio 17

UMA IGREJA PEREGRINA

Átila da Silva, pr.


A Igreja é ‘Peregina’... peregrina composta por peregrinos. Ao observarmos o N.T., vemos que esse estado de peregrinação da Igreja de Jesus gera implicações práticas no aqui e agora. Exemplo: O estado de peregrinação levará a Igreja a enfrentar realidades espirituais, como: 1. As portas do Inferno (Mt.16:18); 2. A carnalidade de seus peregrinos (Mt.18:16) e, talvez também, 3. A disciplina divina (At.8:1 e 1:8). É Jesus quem fala sobre as duas primeiras implicações. As portas das cidades da época existiam para proteção de seus habitantes. Logo, o Mestre quer dizer que a Igreja alcançaria fortificações infernais, no meio de sua pereginação, que precisariam ser invadidas, afim de oferecer liberdade aos cativos em seu interior. Percebemos essa realidade ao redor de cada comunidade de fé local, onde a presença demoníaca escraviza adolescente e jovens pelas drogas e a internet; faz com que pais de família se entreguem a vícios diversos; mães se apeguem a sonhos ilícitos e, também, torna cristãos insípidos pela religiosidade. Se a Igreja não for contra o inferno, ele virá sobre ela!
Já (2.), o processo de disciplina revela amor. Quando a Igreja se deixa influenciar pela criancice de peregrinos infantilmente carnais, estaciona no mesmo patamar onde estes se ancoraram. Se não tomar uma atitude bíblica, deixará de fazer o carnal amadurecer (Mt.16:16-18).
E, finalmente, percebemos a ação de Deus disciplinando a Igreja (At.8:1) que abandonou sua peregrinação para investir em reuniões, em ajuntamentos, e em organização sem produção de frutos. At.1:8 traz a Palavra de Jesus dizendo que ela deveria seguir testemunhando em todos os lugares até os confins da terra. Mas ela não obedeceu. A disciplina divina veio em forma de perseguição. A dispersão deu certo (At.8:4). Muitas vezes somos movidos ou "incomodados" por Deus para continuarmos a seguir na peregrinação. Que você não necessite de um despertamento por meio de disciplina divina (Lc.9:62). Mas se necessitar, que ele venha o mais depressa possível, sempre debaixo da graça amorosa do Pai.

Vamos viver a peregrinação na prática!
FOTO: fogoeterno.wordpress.com