segunda-feira, setembro 28

CHEGA DE OVELHAS, PRECISAMOS DE DISCÍPULOS!

Átila da Silva, pr.

A visão oportunizada por pregadores e escritores evangélicos quanto à similaridade entre o crente e a ovelha está, equivocadamente, entronizada na confissão de fé e no imaginário das pessoas que dizem seguir a Jesus.

Só que esta figura produziu uma noção desvinculada do conceito essencial de "discípulo", proposto pelo Mestre Jesus no Novo Testamento.

O 'rebanho evangélico atual' compreende-se desprovido, carente, incapaz, incompetente. Ele precisa sempre ser dirigido; um grupo de potenciais espirituais que não tem iniciativa, que necessita diuturnamente ser protegido e intermediado pelo pastor humano, projetado pelo rebanho, o qual possui, como único receptor dos oráculos divinos, a persona que assume a terceirização das tarefas espirituais das ovelhas.

Poderia elaborar uma reflexão sobre o contexto sócio-cultural brasileiro que também oportunizou essa vivência doentia. Mas prefiro priorizar a indicação do caminho dos discípulos que se deixaram fazer 'ovelhas'. Pessoas que abnegaram o privilégio de estudar a Palavra de Deus com afinco, de praticá-la pelo amor, tornando-se sujeitos de seu desenvolvimento espiritual com usufruto da convivência direta e assegurada com O Pastor (Salmo 23).

Por isso, ve-se que a convivência eclesiástica dessa ovelha é desenvolvida no conflito, na ocultação do verdadeiro ser, numa simples relação cúltica, programática, sem dons espirituais ativos, sem edificação do próximo, sem demonstração do amor prático de Cristo.

Contemplar um número imenso de discípulos preferindo cantar que servir, buscando a titulardade em ministérios promotores de hierarquias 'sacras' impostoras e sem qualquer efeito positivo no mundo espiritual, traz-me uma lembrança ao coração e um desejo que fortalece a razão e o ânimo: "vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" (1Pe.2:9).


O peregrino sabe que é ovelha de Deus, mas nunca foi chamado para depender de alguém humano que o mande ir e fazer outros discípulos. Ele sabe que quanto maior a organização sem ação mais fácil será estacionar pelo caminho e perder a vocação para a caminhada.

O peregrino sabe que é ovelha de Deus, mas nunca se deixará enganar por títulos que subtraem o ser servo, e por discursos que substituem a mudança de vida.

Todo perergino precisa de um pastor... e conseguiu o seu na cruz.


Fontes:
Estilizadas por CONTRA MÃOS
70959.netminist.com/images
ocw.usu.edu
traveljournals.net