terça-feira, janeiro 26

O PEREGRINO E AS DISTRAÇÕES NO CAMINHO 3

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS.

* Analisamos até agora o peregrino e duas atitudes que podem ocasionar distrações em sua caminhada com Cristo:

1* A atitude de julgar as outras pessoas - quando julgo o outro deixo de enxergar minhas próprias limitações. Agindo assim, o peregrino deixa de refletir sobre si mesmo, esquece-se de Quem é Jesus e se autoconvence de que existem nele os recursos suficientes para seguir na caminhada, independente do seu Mestre.

2* A própria imagem e semelhança - quando o peregrino interpreta e recria tudo ao seu redor tendo a si mesmo como ponto de referência, conseguirá instalar em si a falsa ideia de que ele está, na maioria massacrante das vezes, certo, de que não precisa buscar uma transformação urgente e continuada, de que chegou a um patamar invejável, onde sua visão de mundo e sua capacidade de análise e interpretação, são quase as mesmas de Cristo Jesus. Se o mundo é perfeito e o mundo é igual a mim, logo...Hoje, vamos olhar mais uma das distrações que o perergino pode criar para si.

__________________________________________________________

Recortar a Peregrinação.

Recortar a realidade para que se pareça com o que pensamos ou queremos que seja o real é uma tendência bastante natural de quem ama e obedece ao Mestre Jesus Cristo (Nós, seres humanos, somos assim!).

Queremos controlar e manipular os contextos da vida para que digam o que desejamos ouvir. Não importa se isso recortará a fé verdadeira, o amor leal, as promessas legítimas, a fidelidade sã, os compromissos incontestáveis, a humanidade lúcida, a humildade (e, até, a liberdade e individualidade de quem quer que seja), descaracterizando-os como elementos da peregrinação proposta pelo Mestre.

Quando começamos a utilizar nossa tesoura existencial para adaptar a peregrinação às nossas necessidades, renegamos o marco zero do peregrino: "Quem quiser me seguir, deve negar-se a si mesmo agora e todos os dias, assumir sua identificação Comigo e seguir-Me por onde eu o levar".

Então, a busca do peregrino não é por uma forma de peregrinação que melhor se adapte às suas necessidades. Isso 'os enganados' fazem migrando de um grupo religioso para outro, de uma proposta eclesiástica para outra, seja pelos programas de TV, pelos livros, por pregadores ou cultos.

O peregrino faz recortes sim, mas em sua mente, em seus sentimentos, em sua alma, em suas convicções, em sua confissão de fé, em sua prática de vida, sempre pela Palavra do Mestre. É assim que encontramos, por exemplo, algumas palavras da carta de Paulo aos Romanos (12:2) - não utilizem o recorte do mundo, mas recortem sua mente com a renovação que os levará à vontade boa, perfeita e agradável de Deus.

Antes de pegar sua tesoura existencial veja bem o que será recortado. O peregrino só tem uma ação que pode e deve fazer: recortar a si mesmo para que seja conforme a imagem do Mestre.

É hora de recortar...

sábado, janeiro 23

O QUE É A "PONTILHA"?

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS

Alguns têm pedido para eu explicar o novo link do CONTRA MÃOS: Pontilha.

Dentre os significados da palavra "pontilha", escolhi três que podem expressar uma atitude de fustigação, tanto no sentido de varejar, quanto de incitar e estimular a mente e a alma com idéias curtas, objetivas, como se fossem um instrumento de ponta bastante aguda, o primeiro significado.

O resultado pode ser uma machucadura (1) na estrutura de valores e convicções dos leitores do CONTRA MÃOS ou um despertamento incitativo, a fim de que percebam a existência de outras maneiras de ver, sentir e crer, que estão além do contexto e mundivisão a que estão acostumados.

Assim, podem ser removidos, desalojados ou pinçados (2) por uma idéia, uma frase, para assumir uma atitude filosófica diante do todo da vida, e isto inclui o cristianismo que dizem seguir. 

Por isso, convido a todos os leitores a desabilitarem as defesas naturais na mente e no coração, pois escrevo para pais, filhos e filhas, irmãos e irmãs, companheiros e companheiras de peregrinação, mas, principalmente, por amor e desejo de ver Cristo formado em todos vocês.

No amor do Mestre.
Sl.25:14

NOTAS:
1. Esse efeito alude à arma curta e pontiaguda utilizada nas touradas para ferir o touro, o segundo significado. Registro o não apoio às touradas!

2. O último significado remete-nos aos tempos onde os tipógrafos usavam uma agulha para desencravarem o olho dos tipos.

Fonte dos significados:
Novo Dicionário Eletrônico Aurélio versão 5.0.

segunda-feira, janeiro 18

I have a dream...


"Meu sonho está ligado a uma igreja sadia, brasileira, livre dos laços do racionalismo e humanismo, aberta, influente e envolvida na sociedade, que injete, no mundo sem Deus, discípulos (de Jesus, é claro) maduros, de opinião, com atitude prática, de confissão de fé solidificada na Palavra, imbuídos de eclesiologia neotestamentária, compromissados com os princípios de vida de Deus, que se ‘atrevam’ a ser guiados pelo Espírito Santo e a viver o ‘discipulado desbravador’ de Jesus fora dos redutos evangélicos, que não procurem novas maneiras de incorporar sossego e bem-estar aos crentes centralizados e estabilizados no templo (copiosos egoístas), mas conclamem o povo sob uma visão bíblica de Reino de Deus, que avalizem a obra missionária com um engajamento pessoal total, não situacional ou reflexo de trabalhos de hierarquia institucionalizada, porém de uma consciência cristã, altruísmo de ‘civismo celeste’, burilados no cotidiano da experiência com Deus e com os irmãos de fé que estão na mesma santa caminhada [...] Sobre o ensino teológico: Há espaço para posturas de treinamento ministerial mais adequadas à necessidade do mundo de hoje, da igreja de hoje, embasadas em posturas pedagógicas abertas e libertadoras". (Átila da Silva, 2003)

quinta-feira, janeiro 14

Coerência

"O peregrino não pode abrir as mãos aos céus sem antes tê-las aberto na terra". Átila da Silva (2006)

terça-feira, janeiro 12

Bússola e teologia

"Para o peregrino a Bíblia é sua bússola, já a teologia, gravetos que queimam para aquecer-se, arbusto que pode lhe dar sombra, e, às vezes, alucinógeno que o paralisa na teorização do amor do Mestre, celebrado em encontros dominicais e na fria confissão de fé escrita". Átila da Silva (2007)

segunda-feira, janeiro 11

O PEREGRINO E AS DISTRAÇÕES NO CAMINHO 2

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS.

Uma de nossas tendências habituais é tornarmos as coisas com as quais nos relacionamos IGUAIS a nós mesmos. Ou seja, pessoas, acontecimentos, conceitos e preconceitos, tudo é insistentemente enxergado e interpretado a partir de nosso próprio reflexo.
º
O ponto de referência para essa interpretação do mundo, espiritual, emocional ou material, somos nós mesmos.
º
Por isso, quanto maior a intimidade com algo ou alguém, menor o respeito e a percepção do seu valor.
º
A dimensão de quem o outro é e significa vai sendo mimetizada por nós. Seria de se esperar uma mimetização com o meio, mas nesse nosso processo habital impomos o mimetismo ao próximo, à vida.
º
Esse realidade é uma grande distração no caminho para o peregrino. De repente, ele olha a seu redor e percebe que tudo está muito parecido com ele, conferindo-lhe a falsa ideia de que ele está, na maioria massacrante das vezes, certo, de que não precisa buscar uma transformação urgente e continuada, de que chegou a um patamar invejável, onde sua visão de mundo e sua capacidade de análise e interpretação, são quase as mesmas de Cristo Jesus.
º
Quando o peregrino deixa de se ver como é e conforma as pessoas, os conceitos, os objetivos, as razões para ser, à sua imagem e semelhança, logo se desviará da caminhada com o Mestre. Continuará caminhando, só que perdido em seu próprio reflexo!