segunda-feira, janeiro 18

I have a dream...


"Meu sonho está ligado a uma igreja sadia, brasileira, livre dos laços do racionalismo e humanismo, aberta, influente e envolvida na sociedade, que injete, no mundo sem Deus, discípulos (de Jesus, é claro) maduros, de opinião, com atitude prática, de confissão de fé solidificada na Palavra, imbuídos de eclesiologia neotestamentária, compromissados com os princípios de vida de Deus, que se ‘atrevam’ a ser guiados pelo Espírito Santo e a viver o ‘discipulado desbravador’ de Jesus fora dos redutos evangélicos, que não procurem novas maneiras de incorporar sossego e bem-estar aos crentes centralizados e estabilizados no templo (copiosos egoístas), mas conclamem o povo sob uma visão bíblica de Reino de Deus, que avalizem a obra missionária com um engajamento pessoal total, não situacional ou reflexo de trabalhos de hierarquia institucionalizada, porém de uma consciência cristã, altruísmo de ‘civismo celeste’, burilados no cotidiano da experiência com Deus e com os irmãos de fé que estão na mesma santa caminhada [...] Sobre o ensino teológico: Há espaço para posturas de treinamento ministerial mais adequadas à necessidade do mundo de hoje, da igreja de hoje, embasadas em posturas pedagógicas abertas e libertadoras". (Átila da Silva, 2003)

3 comentários:

Sandro e Marilene disse...

"Quando existem AS MARCAS do evangelho verdadeiro na vida de uma igreja, sua única preocupação torna-se bucar a aprovação de Deus em tudo o que faz e não na expectativa da aprovação humana".

Átila pr
18/02/2005

MULHER VIVA disse...

Nossa, me motivei mais ainda.

Alexsandro Ferreira disse...

Pastor é correto dizer que a igreja precisa deixar o humanismo e tornar-se mais humana?