quinta-feira, setembro 8

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS


"Vivemos no que pode ser o período mais anti-intelectual na história da civilização ocidental. Não somos necessariamente  antiacadêmicos, antitecnologicos, ou anticientíficos. É que a cultura secular adotou uma espécie de impressionismo, que ameaça transformar todos os nossos cérebros em mingau, e o mundo evangélico seguiu o exemplo, desenvolvendo uma alergia a todas as coisas intelectuais (...)


O cristianismo é uma fé intelectual. Isso não significa que ele flerta com o intelectualismo (...) Mas, embora a Palavra de Deus não seja limitada aos intelectuais, seu conteúdo é dirigido à mente. Há uma primazia do intelecto na vida cristã, bem como um primado do coração (...) A primazia do intelecto é em relação à ordem. O primado do coração é com relação a importância (...) Sabemos que a disposição do coração para Cristo é de suprema importância. Se a nossa doutrina está correta, a nossa compreensão intelectual da teologia impecável, será em vão se o nosso coração estiver "longe dEle". 


Se a cabeça está certa e o coração errado, estamos perecendo (...) Por que então se preocupar com o pensamento religioso, ou falar em 'primazia da mente'? Precisamente por causa do coração. Como podemos amar o que não entendemos? Como podemos adorar um Deus desconhecido? Se o caráter de Deus permanece um enigma para nós, todas as nossas canções, orações e zelo religioso tornam-se uma paixão inútil, um espancamento do ar


Religião degenera para superstição e liturgia torna-se uma forma de encantamento mágico (...)


Há um conteúdo para a fé cristã. Esse conteúdo é dirigido, de forma ordenada, para a mente. O Novo Testamento nos chama a ser infantis, mas não com respeito à compreensão. O apelo do coração apostólico é para que não sejamos ignorantes em nossas mentes. Deus nos fez com uma harmonia de coração e cabeça, de pensamento e ação. Quanto mais se sabe dEle, mais seremos capazes de amá-LO. Quanto mais O amamos, mais buscamos conhecê-LO. Para estar no centro de nossos corações, Ele deve estar, a acima de tudo, em nossas mentes.


Nós temos que ter paixão de fato, corações em chamas pelas coisas de Deus. Mas essa paixão deve resistir com intensidade ao espírito anti-intelectual do mundo. A entrada desse espírito na casa de Deus é como um 'cavalo de Tróia', escondendo dentro de sua barriga as tropas do inimigo que querem nos seduzir com uma fé sem conteúdo, como uma ação impensada e um zelo vazio - sem fogo; luz.


Seu legado só será um túmulo para uma divindade esquecida sob a inscrição do epitáfio: 'A um Deus Desconhecido' ".(1)


FONTE:
(1). R.C. Sproul, Burning Hearts are Not Nourished by Empty Heads, Christianity Today, September, 1982. Tradução e negrito nossos.
In http://www.christianitytoday.com/ct/archives/