segunda-feira, janeiro 17

SE OLHARMOS A VIDA COM UMA ATITUDE FILOSÓFICA...

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS

Todos os que passam cotidianamente pelo CONTRA MÃOS me encontram colaborando com sugestões, que visam libertar a mente e o coração das pessoas das diversas formas de alienação, quer religiosa, quer social, quer meticulosa, quer geral (Leia mais em ATITUDE FILOSÓFICA). Qualquer pessoa que já tenha lido o texto de Romanos 6:4, "assim andemos nós em novidade de vida"(1), pode perceber a coerência da renovação diária da razão e do raciocínio, os quais levam a uma nova vivência do dia a dia (É interessante vermos como Paulo relaciona a novidade de vida à tomada de posição compromissada com a realidade do Discipulado de Jesus!).

Pensar e crer não estão dissociados. Pelo contrário. Tenho visto que quanto mais quero viver a vida cristã, mais preciso RECRIAR meu mundo interior, minhas convicções sobre o que é melhor e o que é o pior, sobre o que é pecado e o que não o é, a minha cosmovisão, a minha maneira de relacionar-me com o outro... etc... É claro que o combustível para isso vem dos princípios de vida da Bíblia, mas quem os aplica sou eu, sempre com a ajuda do Senhor!

Para isso, tenho trazido inúmeras possibilidades para fazer do cotidiano um celeiro de maneiras novas de pensar e viver, sob a base indispensável da Bíblia e d iluminação de Seu inspirador, o Espírito Santo.

Hoje, como estímulo filosófico, compartilho uma história sensacional vivenciada pelo conhecido músico Jarbas Agnelli(2 e 3)



FONTE:
1. Versão Revista e Atualizada da Bíblia. Vale lembrar que o verbo grego, pela interpretação de seu tempo, modo e voz, aponta para uma vivência cotidiana e contínua: http://www.bibliaonline.net/bol/?acao=por_verso&livro=45&capitulo=6&versiculo=4&versao=1,10,11&grupos=&agrupar=on&link=bol&cab=1&lang=pt-BR.
2. TEDxSaoPaulo - Jarbas Agnelli