domingo, janeiro 29

TREINAR PARA NÃO ERRAR!

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS

Um problema permanente no trabalho com voluntários nas comunidades de fé locais é a falta de habilidade dos líderes em treinar essas pessoas que lhes foram confiadas por Deus(1).


A atenção parece voltar-se insistentemente para o quesito "número de pessoas assistindo" ao culto. Quanto maior esse número (presentes ou pela internet), mais se instala a certeza de que o líder está no caminho certo e a igreja local crescendo como Deus quer. As pessoas gostam de declarar: "- Antes de ele (líder) chegar aqui tínhamos um punhado de pessoas assistindo ao culto. Agora, veja quanta gente! Ele é um homem de Deus".


Mas será que o crescimento espiritual está acontecendo na mesma medida da assistência a cultos?
O que realmente é importante para um discípulo de Jesus quando está em reunião com os outros discípulos? Será que é o sentimento de pertencer a um grande grupo ou é o crescimento espiritual EFETIVO e o preparo para a VIVÊNCIA dos princípios de Deus na vida real? 


É incrível como as pessoas que fazem parte de uma agremiação religiosa podem frequentar um local de cultos por anos a fio sem saberem se estão crescendo e sem serem motivadas a desenvolver seus potenciais pessoais - espirituais, emocionais e materiais - no investimento em gente.


Enquanto não crescem, se enganam com a ideia de que o tempo de frequência a cultos e programas lhes fará amadurecer. Ilusão. 


Quando é que os líderes pararão de investir em pirotecnia emocional de final de semana e olharão com seriedade e senso de vocação para as pessoas ali assentadas?  

Cuidado! Se você tem um líder que não se envolve pessoalmente na sua capacitação prática para o trabalho de Deus (que não é outro senão investir no crescimento integral das pessoas) repense sua permanência nesse local.


FONTES e NOTAS
1. Isso levando em consideração que esses líderes estejam conscientes de sua vocação e atuem na igreja em sintonia com as exigências da Obra de Deus. Infelizmente, temos visto diversos líderes abrindo mão do compromisso pessoal com a vontade de Deus para investir na antiga ideia do "show deve continuar".


2. Ilustração trabalhada por CONTRA MÃOS a partir do seu original in fundamig.org.br

2 comentários:

Carlos disse...

E se orarmos pela liderança e investirmos no aperfeiçoamento da igreja enquanto comunidade?

Átila e Alice disse...

Sim, Carlos, penso que o caminho é a mobilização para a busca do estabelecimento de parâmetros bíblicos de caminhada cristã, como Mt.28:20 (Ensinando a guardar) ou 2 Tm.2:1,2 (força pela graça e compromisso de transmissão e investimento pessoal nas novas gerações). Se o líder eclesiástico não se comprometer com essa dinâmica de discipulado, dificilmente será estabelecido no meio da igreja um registro - espiritual, mental e emocional - dessa verdade bíblica. Orar é essencial, mas sem uma tomada de decisão que confronte a religiosidade reinante não retornaremos ao caminho do Verdadeiro Evangelho. Mas estou com você e o apoio. Ore e invista, certamente Jesus estará com você nesse compromisso, pois essa è a Sua vontade. Abração.
Átila. Sl.25:14