sexta-feira, abril 20

Uma definição de espiritualidade lúcida...

Átila da Silva para o CONTRA MÃOS
a
Baseado em Marcos 12:30 e 31:
Personalização do texto:
a
"- Amo, pois, ao Senhor meu Deus de todo o meu coração, de toda a minha alma, de todo o meu entendimento e de todas as minhas forças. Amo ao meu próximo como a mim mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses".


4 comentários:

Edivaldo disse...

Jas 2:26 Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta. Só para não passar em branco. Um abraço.

Átila e Alice disse...

Olá Edivaldo,
agradeço seu novo comentário e a lembrança do texto de Tiago. Teorizar a fé é uma tendência natural das pessoas, pois é mais fácil seguir 'conceitos religiosos' do que a Pessoa de Jesus. Andar no caminho estreito com Cristo implica em necessária e constante ação. Não foi isso que Ele mesmo ensinou resumindo a Lei e os profetas em Mc.12:30,31?
Abração e oro por muitas oportunidades para viver o amor prático do Mestre.
Átila

Edivaldo disse...

Mestre, me permita.
Espiritualidade é viver na terra como se estive no céu. Alguém se apresenta?

Átila e Alice disse...

Olá, Edivaldo,
agradeço sua pergunta e colocação oportunas.
Não, não penso que essa espiritualidade tenha a ver com o céu. É um desafio de Jesus para o ser humano, enquanto terrestre, em meio às lutas inerentes ao seu estado presente, ao aqui e agora.
Isso é que torna tudo mais fascinante. O discípulo é apresentado à insuficiência de seu poder pessoal, à impossibilidade de realizar-se sozinho como novo ser espiritual. A não ser que dependa totalmente do Mestre para conseguir alcançar comunhão profunda, ele patinará em esterilidade.
Sua condição de pecador, de imperfeito, de carente reveladas pela luz de Deus só lhe deixa uma saída: depender completamente, deixar-se encher (Ef.5:18), comparecer como o filho necessitado que tem alguma força, mas escolhe exercê-la no usufruir do poder e das inúmeras possibilidades que só seu pai, em sua maturidade, pode suprir-lhe.
O desafio é vivermos aqui essa proposta maravilhosa de vida.
Abraço.
No amor do Mestre,
Átila
Rm.7:24 e 25.