quarta-feira, maio 30

Religião sem vida...

Átila da Silva para o Contra Mãos


Uma característica básica da religião atual é criar um estado de alma rígido e, ao mesmo tempo, alienado em seu seguidor / sua seguidora.

O religioso transforma-se em pessoa que perde o coração e recebe um polígrafo completamente desregulado em seu lugar.

Assim, o que pode ser a 'verdade verdadeira' (Desculpe a redundância!) vai sendo revelada pela ânsia de medir os caminhos dos outros, passando-os pelo' detector religioso de vida torta e sem recursos'. 
(1)
O religioso interpreta os resultados obtidos a partir de sua própria vida, pois posiciona-se como padrão de pureza e comprometimento com a causa religiosa.

Logo, essa triste realidade interior cristaliza os dogmas e as maneiras de ser apreendidas na religião (eclesiástico-denominacional) e risca um trajeto seguro e manipulável de salvação... caminho, asfaltado, largo e firme, adquirido pelo mérito próprio do fazer ou do deixar de fazer(2).

Enquanto julga os outros, perde a oportunidade de perceber o que de prático e transformador NÃO está acontecendo em seu interior. Se pudesse se olhar no espelho de Cristo por um instante... se questionasse o seu padrão segundo a Bíblia... poderia encontrar-se carente e destemido a ponto de clamar "Senhor, tem misericórdia de mim pecador".(3)

Leia: Mt.7:1-5 (4).


FONTE:
1. Ilustração: http://antipolygraph.org/.

2. Esse tipo de 'liberdade' é ineficaz e acontece dentro de uma prisão espiritual, emocional e, até, física! Lembremos que existem muitos trabalhando que esboçam dogmas aparentemente libertadores, mas defraudam a Graça de Deus com pregações humanistas onde o homem é o padrão para si mesmo.

3. A Bíblia é o padrão de Deus para avaliação do que quer que seja. Qualquer pessoa encontrará nela farto material prático que indicará o caminho seguro da vida que vale a pena ser vivida (Desde que ela seja lida, investigada, interpretada e aplicada dentro de seus contextos), enquanto se submete ao plano de amor do Mestre.

4. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão. 
NVI -  http://www.bibliaonline.com.br/acf/mt/7